CA3169D2-0C5D-4853-8E64-A40DA42568A7.jpe

Por

ETIENE BAHÉ

Assessora de Imprensa e Gestora de Mídias Sociais na ATI / PE e na SUCESU / PE

  • Sucesu PE

Desafios da Transformação Digital - Folha PE 29/11/19

Atualizado: 25 de mai. de 2020




*Connection Experience une polos tecnológicos e de inovação de Minas com Pernambuco* *O evento foi promovido pela Sucesu Nacional e pela Fumsoft, e realizado pela Sucesu PE.* “Não vamos tratar aqui no Connection Experience da receita do queijo de minas ou da de bolo de rolo. E sim da receita de inovação, de transformação digital para o crescimento do Brasil. É importante debater TI entre os que desenvolvem tecnologia e os que a consome. Precisamos colocar as pessoas no centro para enxergar as melhorias e mudanças que esse recurso pode trazer para o desenvolvimento de serviços e empresas”. Recado dado pelo Presidente Executivo da Sucesu Minas Gerais, Harlem Duque, no Connection Experience, realizado no dia 28 de novembro de 2019, na Arcádia do Paço Alfândega. Eis a discussão do maior evento de transformação digital do país, promovido pela Sociedade dos Usuários de Tecnologia – Sucesu Nacional e pela Fumsoft, e realizado Sucesu PE, que atraiu mais de 400 pessoas, entre empresários, gestores de TI, e gestores governamentais. "Elaboramos com muito carinho um conteúdo de muita qualidade para que houvesse um debate enriquecedor entre os polos. São experiências distintas, mas enriquecedoras para todos nós. Inovação digital é fazer diferente e pensar diferente. Nosso objetivo é fazer essa provocação. E nada melhor que a Sucesu para fomentar essa inovação, fazendo jus à nossa missão, que é fazer essa conexão entre fornecedores e usuários de tecnologias", disparou o presidente da Sucesu Nacional, Joaquim Costa. Para o presidente da Sucesu PE, Romero Guimarães, o objetivo principal do Connection Experience foi despertar a sensibilidade de governos, empresas e pessoas para que fiquem prontas para a inovação digital que já está acontecendo. “A gente precisa se preparar, usar a tecnologia para alavancar os negócios, nenhuma empresa nem governo vão conseguir sobreviver na era digital sem se transformar”, sentenciou. “O país ainda não possui nenhum projeto que catalise a transformação digital, muito menos inovação na área. Os Estados Unidos, Alemanha, Japão, China, entre outros, já estão muito à frente. O grande problema que vivenciamos aqui é a falta de mão-de-obra qualificada. Ou o Brasil começa a desenvolver um trabalho de captação de mão-de-obra para nos incorporarmos a essas potencias de forma definitiva, ou vamos continuar nas periferias do desenvolvimento tecnológico”, advertiu o presidente do Porto Digital, Pierre Lucena. O presidente da Fumsoft concordou com Pierre, “Estamos na periferia mundial com relação à tecnologia. Diante disso, devemos mirar onde esses ecossistemas deram certo, como é o caso do Vale do Silício e nos espelharmos. Temos que sair da periferia. Lá fora uma startup consegue captar R$3 milhões. Aqui essa realidade ainda é distante. Mas acredito que se conseguirmos encontrar uma ação comum que fortaleça nossas empresas e o processo de transformação digital de Minas e Pernambuco, teremos dado um passo na direção certa”, concluiu Menhem.




3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Neandertais Ao contrário do que muitos Homo sapiens pensam existia vida familiar neandertal. Cientistas descobriram, neste mês, numa caverna da Sibéria, na Rússia, amostra de DNA que comprova isto. Um